X
Menu

5 motivos para fazer um seguro para o seu celular

5 motivos para fazer um seguro para o seu celular

01/07/2020 / FONTE: Sistema Costa Norte

O número de roubos e furtos está crescendo nas grandes cidades. Veja como escolher o melhor seguro para ter proteção quando precisar.

Os celulares se tornaram um item essencial na vida das pessoas. Além de facilitar a comunicação e promover o acesso à internet, o aparelho é utilizado por muitos como instrumento de trabalho. Fora isso, os modelos modernos apresentam valores altos, sendo um verdadeiro investimento.

Você andaria tranquilamente pelas ruas se estivesse carregando cerca de três mil reais no bolso? Provavelmente, não. No entanto, é comum utilizar o aparelho em locais de risco. Fazer um seguro para o seu celular pode evitar muitas dores de cabeça em caso de furtos, roubos ou, até mesmo, acidentes, envolvendo água.

Confira cinco motivos para fazer um seguro e veja como escolher o melhor plano para as suas necessidades.

1. Número de furtos e roubos aumentou

O celular passou a ser um item visado por causa de seu alto valor. Bons smartphones não costumam sair por menos de 1000 reais, podendo atingir 9000 reais em alguns casos, o equivalente a 9 salários mínimos.

No primeiro semestre de 2019, o roubo de celulares no Rio de Janeiro aumentou em 9% se comparado ao ano anterior. Isso equivale a 1 caso a cada 18 minutos. Em janeiro de 2020, aconteceu um arrastão na avenida Paulista, em São Paulo, que elevou o número de casos do mês em 47%.

Na situação, 127 celulares foram furtados ou roubados, o segundo maior índice de janeiro deste ano, ficando atrás apenas do réveillon. Eventos que geram grandes aglomerações, como o carnaval, também registram um número alto de casos. A atividade se tornou lucrativa por isso, os cuidados devem ser redobrados.

2. Transporte público

Quem utiliza o transporte público com frequência e tem o hábito de usar o celular em ambientes externos também está mais suscetível aos roubos e furtos. Em São Paulo, muitas pessoas acabam tendo o celular retirado de suas mãos enquanto estão nos pontos de ônibus, por exemplo.

Ônibus e metrô lotados também são ambientes propícios para furto. Em muitos casos, a pessoa só percebe algum tempo depois, quando já não está mais no transporte.

3. Proteção para modelos caros

Adquirir um smartphone não é barato, sendo um investimento para boa parte dos brasileiros, que costumam parcelar o pagamento. Imagine que você comprou um novo modelo e, apenas alguns meses depois, é furtado.

Além de ainda estar pagando o aparelho, precisará encontrar outro rapidamente para fazer a substituição. Afinal, é por meio dele que você faz ligações, trabalha, acompanha notícias e realiza outras atividades. Fazer um seguro é ter a garantia de resolver a situação rapidamente e com prejuízo reduzido.

4. Acesso rápido a um aparelho novo

O preço de um seguro de celular varia entre 10 a 25% do custo do aparelho e as seguradoras costumam oferecer o parcelamento desse valor. Além disso, há um preço de franquia caso a seguradora seja acionada.

Apesar dos custos envolvidos, ter um seguro é mais barato do que pagar um novo telefone sem ter feito a devida programação. Além disso, o processo é rápido para que você não seja prejudicado por ficar muito tempo sem o celular. Dependendo do contrato, o consumidor pode receber o valor em dinheiro ou um aparelho novo.

5. Garantia em casos de acidentes com líquidos

Os casos de celulares que caem na piscina, no vaso sanitário ou ficam molhados no mar é alto. Na maior parte das vezes, essas situações são acidentais, mas que podem acabar com a vida útil do aparelho.

Alguns seguros oferecem proteção para casos como esse, servindo como uma garantia a mais de que não haverá prejuízo com o seu celular. É importante verificar quais os requisitos de indenização para essas situações, de acordo com cada plano de seguro.

Como escolher o seguro para o celular

Para não ter uma surpresa desagradável, é importante escolher o seguro atentamente, analisando quais são os tipos de cobertura que ele oferece. Nem todos garantem a indenização em casos de furto simples, por exemplo.

No entanto, costumam cobrir os casos de roubo e furto qualificado — quando há obstrução para conseguir pegar o celular, como quebrar o vidro do carro. Algumas seguradoras oferecem coberturas para casos acidentais, como o exemplo com líquidos.

Os contratos possuem carência. Então, se há uma carência de 30 dias e algo acontece com o aparelho nesse período, o seguro não cobre as despesas. Também é importante analisar a política de indenização e quanto tempo leva para receber o dinheiro ou o novo aparelho.

You Might Also Liked

Seguro-saúde é exigido em mais de 40 países Seguro rural: Volume de prêmios até agosto atingiu R$ 4,38 bilhões Susep vai criar índice de sustentabilidade verde Pix pode impactar o preço do seguro A era das empresas do futuro já começou? Consórcio do DPVAT deve ser extinto e devolver dinheiro para o consumidor, diz associado Polícia investiga carros encontrados no fundo de pedreira desativada no interior de SP Omint disponibiliza e-books gratuitos com atualizações sobre testes e vacinas contra a COVID-19 que podem chegar ao Brasil